Velocidade de internet

Velocidade de internet: tudo que você precisa saber sobre o assunto

Ao contratar um plano de internet, tenho certeza de que um dos primeiros pontos que você observa é a velocidade ofertada. Afinal, ninguém gosta de passar por problemas com gargalos de conexão, lentidões e indisponibilidade de serviço, não é mesmo?

Para evitar isso, é preciso entender um pouco mais sobre velocidade de internet. Uma curiosidade é que, na verdade, ela é a mesma em qualquer lugar: a internet funciona na velocidade da luz. O que medimos então é a taxa de transferência de dados de um plano, ou seja, o fluxo de informações que chegam e que são enviados pelo seu dispositivo.

De qualquer forma, seja qual for o termo que use, é importante compreender todas as variáveis que estão envolvidas com isso e conseguir definir qual é a melhor opção para você. Neste conteúdo, falarei sobre todas as questões envolvidas com esse tema. Boa leitura e tire suas dúvidas! 

O que é e como a banda larga funciona?

A internet banda larga foi uma evolução gerada após o surgimento das conexões discadas, que utilizavam a linha telefônica para gerar conexão (se você é dessa época, provavelmente, vai se lembrar de quantas vezes passou raiva com a rede caindo ao receber uma ligação). Ela dispensa o uso – e, consequentemente, a contratação da linha fixa – atuando de forma paralela.

A banda larga trouxe como modernidade a possibilidade de conexões mais rápidas, de forma independente com a linha telefônica, e com a capacidade de comportar uma maior carga de serviços. Por exemplo, com a velocidade adequada, ela permite que você consiga assistir, tranquilamente, as suas séries favoritas no streaming — algo bem difícil de acontecer no modelo discado.

O que é velocidade de download e velocidade de upload?

Quando falo em velocidade de internet, há duas variáveis que devem ser consideradas: download e upload. Por isso, é importante saber identificar o que significam esses dois termos e como eles impactam a escolha da velocidade adequada a sua necessidade. Vou mostrar os dois a seguir: 

  • velocidade de download: é, provavelmente, a parte mais importante da escolha do plano adequado para maior parte das necessidades dos usuários. Isso porque o usuário tende a mais receber muito mais conteúdo do que enviar. Impacta, por exemplo, as transmissões de streaming (séries, vídeos, músicas), aberturas de páginas, download de arquivos, entre outros. 
  • velocidade de upload: a velocidade de upload é a responsável pelo envio de arquivos da sua máquina para a rede, seja para outros usuários, seja para suas redes sociais, entre outros. Impacta, por exemplo, o envio de vídeos e fotos para redes sociais, arquivos de trabalho ou escola, anexo de e-mails, jogos e reuniões online, entre outros. 

Nos casos de conexão banda larga padrão, costuma haver grande disparidade entre as duas velocidades, sendo a de download, normalmente, muito mais alta do que a de upload — justamente por essa diferença em demanda. Porém, em conexões mais atuais, como a fibra ótica, esse tipo de distanciamento reduziu de forma considerável, com ambas as velocidades atingindo valores suficientes para qualquer tipo de necessidade.

Outro ponto a ser considerado é que, segundo a legislação nacional, as prestadoras de serviço de internet não são obrigadas a fornecer 100% da velocidade contratada durante todo o tempo de utilização do usuário. A taxa de transmissão instantânea (aquela que você consegue mensurar imediatamente nas ferramentas de velocímetro) deve ser, no mínimo, 40% da máxima contratada.

Já a velocidade média mensal precisa corresponder a, no mínimo, 80% da banda contratada. Os valores valem tanto para a de upload quanto para de download. Essa resolução, feita pela Anatel, está em vigor desde 2014. 

Como o modem e o roteador impactam a velocidade de internet?

Você pode contratar a melhor velocidade de internet para sua casa, todas as instalações adequadas, mas ainda assim, não estar conseguindo alcançar o esperado. O que pode estar acontecendo? Bom, um primeiro ponto que precisa ser observado é se há algo relacionado com seu modem e roteador.

Em primeiro lugar, vamos entender rapidamente qual a função de cada um. O modem é responsável por converter os sinais enviados pelo cabeamento, transformando os bits e bytes em textos, vídeos e imagens.

Já o roteador é o responsável por receber o sinal do modem e retransmiti-lo para que os dispositivos da casa consigam se conectar à rede. Pode ser um roteador via cabo ou, então, Wi-Fi, dispensando o uso de fios para conexão. Ele também é responsável por buscar as melhores rotas de envio e recebimento de dados, permitindo uma velocidade mais rápida de conexão.

Por aí, já podemos perceber um ponto que evidencia como esses dois aparelhos interferem na velocidade de internet: um bom roteador pode encontrar os pontos com menor gargalo e garantir maior agilidade e menor risco de indisponibilidade na conexão.

As opções permitidas pelo roteador (seja ele Giga ou Fast) também podem interferir na velocidade. Os modelos mais modernos conseguem operar com os dois padrões de frequência atuais, 2,4Ghz e 5Ghz, que dizem respeito a transmissão de dados por ondas. Em geral, quanto maior a frequência, maior é taxa de transmissão de dados e menor a distância alcançada.

Importante lembrar que, para alcançar as altas taxas de velocidade das transmissões que ocorrem com as redes 5GHz, é preciso conferir se, além do roteador, os dispositivos que receberão esse sinal são compatíveis com essa frequência. Equipamentos com tecnologias mais antigas podem não operar com frequências de velocidades mais altas.

Caso os equipamentos não suportem, ainda que você contrate planos com velocidades superiores a 100 Mbps, provavelmente você não conseguirá desfrutar de toda a velocidade contratada naquele dispositivo. O próprio posicionamento do roteador Wi-Fi em sua casa pode interferir na velocidade da internet.

Caso ele esteja mal posicionado, isso pode implicar em consequências para o tráfego de dados, piorando a qualidade do sinal e, consequentemente, a velocidade da conexão. Algumas dicas para isso são:

  • prefira utilizar áreas centrais da residência;
  • coloque o roteador em um ponto alto;
  • evite colocá-lo próximo de outros objetos eletrônicos;
  • posicione-o longe de obstáculos;
  • evite deixá-lo próximo de janelas.

Com essas sugestões, você consegue um melhor posicionamento do modem, com um sinal mais limpo e capaz de realizar a transmissão e o envio de dados de forma mais eficaz e constante.

Porta Giga ou Porta Fast: quais são as diferenças?

Porta Giga ou Porta Fast são padrões relacionados com velocidade de conexão. Por isso, é importante saber as diferenças, a fim de identificar qual é a melhor opção para conseguir o máximo de desempenho possível. A seguir, vou mostrar como funciona cada uma dessas portas e as principais diferenças entre esses padrões. 

Porta Fast

Uma rede cabeada que utilize a Porta Fast (ou cabo Fast Ethernet, também conhecido como 10/100) consegue fazer transferências de dados de até 100 Mb/s, sendo um padrão mais antigo em comparação com a Porta Giga.

Já nas redes wi-fi esse padrão utiliza a frequência 2,4Ghz em suas transmissões com limitação de velocidade de até 100Mb/s, porém entregando em média algo em torno de 50 e 60Mb/s.

Percebe-se, assim, que ele proporciona velocidades mais baixas para a transferência de arquivos, o que pode prejudicar sua experiência de navegação em serviços mais pesados, como streamings ou jogos. 

Porta Giga

A Porta Giga (ou cabo Giga Ethernet, ou 10/100/1000) é mais recente, tendo sido criada em 1999. Ela consegue fazer taxas de transferência de até 1 Gb/s, uma velocidade dez vezes maior do que a promovida pela Porta Fast.

Nas redes wi-fi opera na frequência de 5Ghz e tem como principal positivo sua capacidade de trafegar altas velocidades. Indicado para planos acima de 100Mbps. Como ponto de atenção está sua área de abrangência, que é menor do que as redes 2,4Ghz.

Para alcançar altas velocidades e área de abrangência elevada você precisará de soluções mais robustas como repetidores ou equipamentos com tecnologia mesh.

Por que analisar quais deles são utilizados e definir qual a melhor opção? Vamos esclarecer a seguir. Como mencionei, a combinação correta de equipamentos é capaz de proporcionar a melhor experiência de sua conexão. Entender quais as limitações e quais benefícios de cada dispositivo é fundamental para que você tenha uma boa relação entre o investimento realizado e a necessidade/expectativa com sua internet.

Há diversas opções no mercado, com grande variação de preço e funções. Por isso, é fundamental identificar quais são as variáveis que devem ser observadas para uma melhor escolha, tais como:

  • avalie suas demandas;
  • verifique o local em que o modem e o roteador serão instalados;
  • verifique a porta a ser utilizada (Giga ou Fast);
  • confira o suporte da marca aos usuários, entre outros.

Protocolo Wi-Fi

Para observá-lo, é importante verificar qual é a letra que vem destacada na embalagem após os números 802.11. Isso auxilia a mostrar se o seu aparelho é mais moderno ou mais antigo. Por exemplo, o padrão “b” é mais antigo, enquanto o “ac” é o mais moderno. Ainda temos os padrões “g” e “n”, intermediários.

Quanto mais atual, maior a possibilidade de conseguir oferecer mais velocidade em seu uso, além de obter mais estabilidade, permitindo a conexão com mais dispositivos ao mesmo tempo. Porém, é importante avaliar se os seus dispositivos são compatíveis com o dispositivo “ac”. Caso contrário, poderá ter problemas. 

Frequência de banda

Outro ponto importante a ser observado é a frequência na qual pode ser feita a transmissão do sinal Wi-Fi. Como falei antes, você pode encontrar roteadores de 2,4 GHz ou 5 GHz ou, então, em versões dual band.

Lembre-se de que a velocidade mais rápida é oferecida pela segunda versão. Contudo, é importante verificar se os seus dispositivos têm suporte a ela. Nesse caso, pode ser interessante a versão dual band, que alterna entre elas automaticamente. 

Custo-benefício

Observe, também, a questão “custo x benefício” do aparelho. Em alguns casos, a provedora de internet oferece opções com inclusão do roteador wi-fi no ato da sua contratação. Por isso, é importante conferir como é o contrato com a empresa e verificar o equipamento adotado por ela.

Powered by Rock Convert

Além disso, observe se a empresa oferece mais algum tipo um serviço de assessoria e/ou suporte à sua de rede interna, isso pode te trazer uma melhor conectividade, além de franquia de serviços gratuitos para problemas e imprevistos em seus equipamentos. 

Como medir a velocidade de internet?

Mas como saber se a velocidade de internet está sendo mesmo a contratada ou se estão chegando, pelo menos, os valores exigidos pela Anatel? Isso pode ser feito por meio de ferramentas que funcionam como uma espécie de velocímetro. 

Mas para isso, é importante compreender como o teste é realizado e os resultados obtidos, normalmente, por essas ferramentas. Em primeiro lugar, você deve saber identificar as medidas utilizadas pelo site.

Isso porque a empresa pode comercializar uma velocidade em Mbps (megabits por segundo) e o teste apresentar os resultados em MBps (megabytes por segundo). Parece que é apenas uma letra de diferença entre megabite e megabyte, mas não é. Isso porque 1 byte (B) equivale a 8 bits (b), e por isso podem ocorrer discrepâncias na hora de ver os resultados.

Para realizar o teste, é fundamental que você feche todas as abas do seu navegador, não tenha algum download sendo realizado, bem como evitar estar assistindo transmissões no streaming no momento. Feche todos os seus softwares de torrent. Isso é fundamental para evitar que o resultado possa sofrer interferência e gerar resultados diferentes da realidade.

O teste apresentará a velocidade de download e de upload. Verifique se o resultado está dentro das margens permitidas pela Anatel. Caso esteja discrepante, veja se há algo interferindo nos resultados.

Outro indicador que o site apresentará é a latência, também chamado de “ping”. Diz respeito ao tempo de reação da conexão, ou seja, mensura o tempo no qual você recebe uma resposta depois de fazer uma solicitação. Quanto menor o indicador, mais rápido é o seu tempo de reação e melhor é sua conexão.

Esse índice é importante principalmente para os gamers, que precisam dessa agilidade em seus jogos.

Como aumentar a velocidade da internet?

Apenas a contratação da internet dentro da velocidade escolhida, como você pôde perceber ao longo de todo este conteúdo, não é o suficiente. Há uma série de questões que podem interferir nas trocas de dados e que precisam ser observadas.

Se as suas atividades exigem alta eficiência da conexão, ou gosta de jogar e assistir séries e filmes em streamings é importante saber medidas interessantes para conseguir aumentar a velocidade da internet e garantir uma melhor experiência para o seu lazer. Veja as principais dicas, a seguir.

Avalie a velocidade do computador

Muitas vezes, a lentidão não é da internet, mas sim, da sua máquina, o que interfere na sua navegação. Para isso, há duas formas para tirar a dúvida:

  • faça o teste de navegação;
  • utilize soluções específicas para avaliar a velocidade da sua máquina.

Se nos testes for constatado que o problema está no dispositivo utilizado, algumas medidas podem resolver o problema, como:

  • realizar o upgrade das configurações de hardware;
  • utilizar softwares que realizem uma limpeza no dispositivo, tornando-o mais rápido;
  • trocar o aparelho.

Tenha um antivírus em sua máquina

Um dos pontos que interferem na velocidade da sua internet é a presença de vírus em seu dispositivo. Isso porque alguns deles sugam parte da banda para conseguir transmitir dados ou utilizar sua máquina como um servidor fantasma para ataques (é o caso das ações DDoS). 

Com um bom antivírus, é possível minimizar esse tipo de problema, evitando que códigos maliciosos acessem sua máquina e possam utilizar a sua banda para ações criminosas. 

Utilize equipamentos com tecnologias mais avançadas

Quanto mais atualizados forem os seus dispositivos, maior será a velocidade de navegação. Isso porque eles têm mecanismos que garantem uma transmissão de dados mais fluida ao longo do tempo. Diante disso, é fundamental atualizar notebooks, tablets, smartphones, Smart TV, videogames além do próprio conjunto: modem e roteador.  

Para necessidades intensas, prefira a conexão cabeada Para situações de utilização extrema, como jogos on-line, optar por cabear a conexão entre o dispositivo e o roteador ainda é a melhor escolha, já que dessa forma você elimina muitos fatores que podem prejudicar sua conexão.  

Utilize ferramentas de aceleração de navegação

Há ferramentas que têm a função de aceleração de navegação. Elas fazem algumas modificações nos navegadores, reduzindo pontos que podem gerar gargalos na navegação. Esse tipo de solução está disponível tanto para computadores e notebooks quanto em aplicativos mobiles. 

Desfragmente o HD

Como falamos, a velocidade de navegação pode estar passando por problemas devido a questões da sua máquina. Se você consegue aliviar um pouco dela, é possível conseguir uma conexão mais fluida.

A desfragmentação de disco rígido pode auxiliar nisso, otimizando não só o desempenho de internet, mas também, da própria máquina, permitindo um maior proveito da banda larga. 

Observe os aplicativos que consomem a sua banda

Muitos aplicativos consomem consideravelmente da sua banda de internet e podem estar atrapalhando a performance de outros dispositivos da sua casa. Os principais deles são:

  • programas de torrents;
  • jogos online;
  • streaming de áudio e vídeo.

Se, por exemplo, todos os dispositivos estão conectados e utilizando aplicações que consomem a banda, é natural que o resultado seja uma maior lentidão para todos. Para solucionar isso você, provavelmente, terá que readequar seu plano contratado. Falarei sobre isso, a seguir. 

Como escolher um plano de internet?

Para saber escolher adequadamente o plano de internet que atenda às suas necessidades vou resumir um pouco dos principais pontos a serem observados. Lembre-se que uma escolha errada nesse momento pode representar frustração imediata e necessidade de readequação da contratação com custos adicionais imprevistos, como a troca de um roteador recém-adquirido.

Por isso, seguem algumas dicas para conseguir escolher um plano de internet que realmente atenda às suas necessidades. 

Avalie o número de dispositivos conectados

O plano de internet precisa oferecer qualidade de conexão para todos os dispositivos que serão conectados à rede. Caso contrário, poderá gerar gargalos para todos os presentes. P

or exemplo, imagine que você contratou uma internet de 60 Mbps. É uma boa conexão, mas se tiver um número elevado de aparelhos que dependerão de conexão para uso constante, o resultado pode não ser tão favorável. Um filme na Netflix em 4K, por exemplo, pode consumir até 25Mbps do seu total contratado. 

Considere o tipo de uso de cada usuário

As necessidades de uma casa na qual todos utilizam a internet, em sua maioria, para uso pessoal (trocas de mensagem, sites de notícias, redes sociais, entre outros) é diferente de uma na qual há presença de gamers, estudantes de modalidades on-line e/ou trabalhadores que participam de reuniões por vídeo chamadas, cuja necessidade de banda é muito maior.

Por isso, avalie: quais são as demandas de cada pessoa? Como isso impacta o uso geral da internet? Se há um grande consumo, é fundamental optar por planos mais robustos. 

Considere a velocidade da internet

Diante do que falei acima, é hora de avaliar qual a velocidade média necessária para atender aos anseios de todos. Lembre-se de que essa necessidade pode se elevar com o tempo, com a inserção de novos dispositivos ou serviços. Por isso, se você acha que, atualmente, um plano de 60 Mbps pode ser suficiente, pense que, ao inserir um novo dispositivo, sua internet poderá tornar-se mais lenta e sua experiência ser comprometida.

Com esses dados, você consegue definir qual é o plano mais adequado para a sua situação e garantir que contratará o serviço adequado para sua residência. Assim, não vai passar raiva e permitirá que todos os moradores possam usar bem seus serviços de internet.

Afinal, quando falamos em internet, estamos mencionando um serviço essencial no seu dia a dia. Por isso, as melhores escolhas são fundamentais para minimizar os riscos de problemas que possam impedir você de curtir as suas séries, jogos, filmes, trabalho, entre outros.

Trouxe, neste artigo, tudo que você precisava saber sobre velocidade de internet. Com essas informações, você consegue escolher os melhores planos e serviços e atenderá às suas necessidades ao longo do tempo.

Este guia foi útil para você? Então, compartilhe-o em suas redes sociais e ajude seus amigos a escolher as melhores opções de planos de internet.

Receba conteúdos exclusivos da Cabonnet no seu e-mail!

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.